Perguntas frequentes

A Mensagem Raeliana

Os Elohim explicam que eles foram criados por uma raça mais avançada de seres humanos, que foram criados por uma raça ainda mais avançada de seres humanos e assim por diante, ad infinitum. Somos apenas mais um elo no ciclo eterno da vida, e um dia os nossos cientistas viajarão para outro planeta e criarão a vida da mesma forma que os Elohim fizeram no nosso planeta.

Os Elohim não são invasores. Eles expressaram o seu desejo de vir, mas eles respeitam a nossa escolha, se não quisermos que eles venham. Cabe a nós convidá-los, e o nosso convite é a Embaixada. É o mínimo que podemos fazer.
Sem a neutralidade de uma embaixada, espaço aéreo livre e as boas-vindas oficiais, uma chegada indesejada e não anunciada teria enormes repercussões políticas, económicas e sociais, com consequências desastrosas em todo o mundo. Porque Rael é o seu Embaixador na Terra, os Elohim não apoiarão outro governo, religião ou ideologia que não seja parte da Filosofia Raeliana. Por isso, eles apenas virão quando a sua Embaixada for construída. Tal é o seu amor e respeito por nós.

Porque uma chegada não anunciada e indesejada seria um pandemónio e os governos do mundo os veriam como invasores, resultando em ameaça de retaliação pelos militares. A única maneira de evitar este cenário desastroso é de ensinar às pessoas quem são os Elohim e espalhar a mensagem de Rael em todo o mundo, em primeiro lugar. Somente então podemos imaginar o retorno dos nossos Criadores que nos amam e que desejam se reunir oficialmente com os governos do mundo, para que possam compartilhar connosco a sua herança científica.

A filosofia Raeliana é de compreensão, e não de crença. É exatamente por isso que Rael nos pede que não acreditemos cegamente nele, mas que façamos nossa própria pesquisa e que depois tiremos as nossas conclusões, depois de ler o seu livro, “A Mensagem transmitida pelos Extraterrestres”.

O que está escrito nos livros de Rael é confirmado e apoiado por todos os antigos escritos religiosos, lendas, tradições e também pela ciência moderna. Indícios de vestígios de contatos entre a humanidade e seres de outro planeta ao longo da nossa história podem ser encontrados e em todos os continentes. Além disso, muitas das nossas descobertas científicas realizadas nas últimas décadas estavam destinadas a acontecer, tal como mencionado por Rael, há mais de 40 anos.

O Movimento Raeliano

Não. O Movimento Raeliano é uma organização sem fins lucrativos que não paga salário ao seus membros, incluindo Rael. Todos os membros são voluntários que são conscientes da magnitude da missão de Rael e que doam parte do seu tempo livre.
Para garantir que o dinheiro do Movimento NÃO seja usado para pagar um salário a Rael, existe uma entidade separada chamada de “Fundação Raeliana”, que apoia Rael financeiramente. Raelianos podem fazer doações a esta Fundação, se assim desejaram, mas não é obrigatório.

Uma vez que a nossa sociedade ainda é baseada num sistema monetário, o Movimento Raeliano também depende de doações para financiar as suas atividades em todo o mundo.

As doações feitas ao Movimento Raeliano são usadas para dois objetivos principais:
1) Informar a humanidade acerca das Mensagens dadas a Rael pelos Elohim (folhetos, cartazes, anúnicos em letreiros, conferências, pagamento de hospedagem de sites da internet, etc…) e
2) Construir uma Embaixada para receber oficialmente os Elohim.

Como Raelianos, somos ateus, o que significa que não acreditamos num Deus sobrenatural e impalpável. Entendemos que, quando os nossos ancestres mencionavam num “Deus” como uma divindade, eles estavam realmente a falar de uma civilização extraterrestre cientificamente avançada, referida como “Elohim” na Bíblia Hebraica, uma palavra que literalmente se traduz em “Aqueles que vieram do céu” , ou “Pessoas do céu”, como povos nativos ainda os chamam. Devido à falta de entendimento científico da época, o nosso mundo estava cheio de superstição, misticismo e ilusão.

Os Elohim, que são 25 000 anos cientificamente mais avançados do que nós, não criaram o universo, mas vieram à Terra numa época em que não havia vida e construíram laboratórios imensos para a criar cientificamente, usando tecnologia avançada de engenharia genética Eles começaram com organismos simples e eventualmente criaram os seres humanos “à sua imagem”, como referido na Bíblia — Génesis 1:26. Hoje vivemos na era da ciência e podemos entender e aceitar a plausibilidade de um empreendimento científico tão extraordinário.

Enquanto que as pessoas que acreditam em Deus também acreditam que Deus é o Criador do Universo, os Raelianos têm uma posição diferente. Os Elohim conseguiram provar que o universo é infinito no macrocosmos e no microcosmos. O conceito de um universo infinito é difícil de compreender para muitos porque nascemos num dia e morremos noutro; por isso é fácil de assumir que tudo à nossa volta tem uma natureza finita. Mas num universo infinito, não existe princípio nem fim. Tudo o que existe no universo sempre existiu e sempre existirá.
Em breve, viajaremos para outro planeta para criar a vida nele da mesma forma que os Elohim fizeram para nós e nessa altura seremos “deuses”.

No sentido etimológico sim, consideramos. A palavra “religião” foi tão usada, mal usada e abusada através dos tempos, que não é de surpreender que muitas pessoas hoje em dia se afastem de tudo o que seja apelidado de “religião”. Ao mesmo tempo, muitas pessoas têm a ideia errada do que “religião” realmente significa e vêm-na como a crença numa espécie de divindade. A palavra “religião” vem do Latim “Religare”, que significa “religar” ou criar uma ligação entre seres, entre os Criadores da humanidade e a sua criação, os humanos e as estrelas, a Terra e o Céu, etc…

O que importa aqui é “criar a ligação”.

Além disso, como o budismo, o Raelianismo é uma religião ateia, ou seja, os Raelianos não acreditam num “deus” porque Deus não existe. Na Bíblia hebraica original, está escrito “Elohim” (não “deus”), que é um plural e traduz-se literalmente para “Aqueles que vieram do céu”.

Também é importante entender que, mesmo que os Raelianos não acreditem num “deus”, ainda aceitamos a noção que existem Criadores e ainda reconhecemos os grandes Profetas da Antiguidade tal como Jesus, Maomé, Moisés, Buda, etc…, que foram todos Mensageiros enviados pelos nossos Criadores, os Elohim, a diferentes períodos ao longo da nossa história para guiar a humanidade pelo caminho da sabedoria. Quando a humanidade estiver pronta para os acolher com o amor e respeito que eles merecem, os Profetas retornarão na companhia dos Elohim na Embaixada que construiremos.

Sim, todos são bem-vindos a participar nas nossas reuniões informais Raelianas. O principal evento Raeliano é a Universidade da Felicidade anual, que ocorre em cada continente; veja a nossa secção de eventos para mais detalhes.

A Clonaid foi iniciada por Maitreya Rael em 1997, pois a clonagem humana é o primeiro passo para a vida eterna pela ciência, como descrito pelos Elohim. No ano 2000, após um forte interesse na ideia da clonagem humana por pessoas em todo o mundo, Rael decidiu entregar o projeto Clonaid à Dra. Brigitte Boisselier, uma Bispa Raeliana, para que ela começasse realmente a trabalhar na clonagem do primeiro ser humano.

Desde então, a Clonaid tem sido completamente independente do Movimento Raeliano. Nem Rael nem o Movimento Raeliano a financiam ou têm qualquer relação com a Clonaid, para além do seu apoio moral às tecnologias de clonagem. Para mais detalhes visite clonaid.com.

A Suástica antecede Hitler de milhares de anos. Foi usada como um símbolo de boa sorte antes de Hitler se ter apropriado dela. Incorporada na Estrela de David, é o símbolo mais antigo conhecido pela humanidade e é o símbolo dos Elohim, os nossos Criadores. Representa o infinito no tempo (Suástica) e no espaço (Estrela de David).swastika_symbol

Com os seus 25 000 anos de avanço científico sobre nós, os Elohim foram capazes de provar cientificamente que o universo era infinito no tempo — como representado pela Suástica, onde a passagem do tempo é inversamente proporcional à massa — e no espaço (macro e microcosmos) — representado pela Estrela de David com os dois triângulos apontando em direções opostas (como acima, abaixo).
Saiba a verdade acerca deste símbolo de “boa sorte” em ProSwastika.org.

Um Raeliano é alguém que reconhece publicamente os Elohim como os criadores da humanidade. Em cada ano há quatro oportunidades para o fazer, através da participação numa cerimónia Raeliana de batismo desmistificado. As quatro datas designadas também são feriados Raelianos oficiais: o primeiro domingo de abril, 6 de agosto, 7 de outubro e 13 de dezembro.

A cerimónia de batismo tem lugar às 15h, hora local, em todo o mundo.

Membros ativos são Raelianos que contribuem para os objetivos da organização de ajudar a transformar este mundo no sentido de preparar a humanidade para o evento mais importante da história – o regresso dos Elohim à Terra.

Para mais informação em como se tornar Raeliano e/ou um membro ativo do Movimento Raeliano, por favor contacte o Movimento Raeliano do seu país.

O Movimento Raeliano conta cerca de 100 Guias Honorários – homens e mulheres que não são raelianos, mas que, como os raelianos, dedicam as suas vidas a mudar o mundo, reduzindo a violência, denunciando injustiças e corrupções e explorações governamentais, eliminando tabus relacionados com Deus e promovendo os Direitos Humanos. Uma lista completa dos Guias Honorários pode ser encontrada aqui.